Off

Despojos de Guerra é um dos programas mais vistos da televisão portuguesa

O primeiro capítulo da nova série da Blablabla Media em coprodução com a SIC foi um dos programas mais vistos da passada quinta-feira, dia 6. O primeiro episódio de Despojos de Guerra, de Sofia Pinto Coelho, atingiu um share de 22,9%, congregando em frente ao pequeno ecrã cerca de um milhão e cem mil espectadores. Uma semana depois, a proeza repete-se

Esta quinta-feira, 13 de outubro, os números do segundo episódio de Despojos de Guerra voltam a surpreender. Com efeito, mais um milhão de espectadores acompanhou de perto a história de um dos vários milhares de africanos que, depois de combaterem ao lado dos portugueses na guerra colonial, foram deixados à sua sorte com a descolonização. Emitido na rubrica Grande Reportagem, do Jornal da Noite, da SIC, Combatente Africano entrou diretamente para a lista dos programas mais vistos do dia em Portugal.

Com recurso a imagens de arquivo extraordinárias, pela primeira vez submetidas a um processo de colorização inédito em Portugal, Despojos de Guerra consiste numa série documental de quatro episódios que vem dar voz a protagonistas anónimos que relatam as encruzilhadas que enfrentaram em tempo de guerra e de descolonização.

Nos próximos dias 20 e 27 de outubro serão emitidos os últimos dois capítulos da obra: Corredor da Morte e Laços de Sangue. Para ver no prime-time da SIC ou rever em versão alargada na plataforma opto.

Off

Teatro Municipal de Ourém recebe O Casarão para sessão especial

No próximo domingo, dia 16, pelas 16h00, O Casarão volta a ganhar vida no grande ecrã. Promovida pela Câmara Municipal daquela cidade, desta feita, a sessão acontece em formato especial. Na sala principal do Teatro Municipal de Ourém

Em palco para o debate a seguir à projeção estarão presentes o protagonista da obra, António Oliveira, o realizador, Filipe Araújo, a produtora Hemi Fortes, e o assistente e figurante especial, Sérgio Diamantino. Bilhetes já à venda.

Off

Série documental sobre protagonistas anónimos da guerra colonial estreia esta semana na SIC

Também disponível na OPTO, em versão alargada, estreia já esta quinta-feira, dia 6 de outubro, na SIC, o primeiro episódio da mais recente co-produção da Blablabla Media. Assinada por Sofia Pinto Coelho, Despojos de Guerra revela histórias extraordinárias de espionagem, patriotismo, sobrevivência e romance tendo como pano de fundo a guerra colonial portuguesa em África

Com recurso a imagens de arquivo extraordinárias, pela primeira vez submetidas a um processo de colorização inédito em Portugal, esta série documental de quatro episódios vem dar voz a inesperados protagonistas anónimos que relatam as encruzilhadas que enfrentaram em tempo de guerra e de descolonização. A Informadora será o primeiro dos quatro capítulos a estrear no horário nobre da televisão de Paço de Arcos. Esta quinta-feira, dia 6 de outubro, dentro do Jornal da Noite.

EPISÓDIO 1: A informadora | No auge da guerra colonial em Angola, uma comerciante e o marido avisavam a PIDE (polícia política) quando os guerrilheiros iam à sua loja abastecer-se de mantimentos. Sebastiana Valadas revela qual era o seu nome de código, quanto recebiam pelas informações e como prendiam os “turras”. Depois da descolonização, um deles ajustou contas e mandou prendê-la.

EPISÓDIO 2: Combatente africano | Milhares de africanos combateram ao lado dos portugueses na guerra colonial. Com a descolonização, foram deixados à sua sorte. Alguns foram fuzilados ou perseguidos pelos novos poderes e mesmo para receber tratamentos médicos é-lhes dificultada a vinda a Portugal. Como é possível que não se faça justiça perante estes homens que estiveram na dianteira da guerra, como é o caso do antigo Cabo Luís Silva?

EPISÓDIO 3: Corredor da morte | O que significará dar a vida pela pátria? Contrariados ou voluntariosos, foi o que fizeram 800.000 jovens a partir de 1961. A Guiné estava transformada no mais duro e mortífero campo de batalha e foi para lá que foram enviados o piloto-aviador Miguel Pessoa e a enfermeira paraquedista Giselda Antunes.

EPISÓDIO 4: Laços de sangue | Chamam “filhos de tuga” aos mestiços nascidos das relações entre militares portugueses e mulheres africanas que foram deixados para trás. Entre a revolta e a esperança, ainda hoje tentam encontrar um nome de pai e descobrir a outra metade da sua identidade, como sucede aos irmãos Elva e José Maria Indequi.