Off
View Post
Cosmopolitismo, arte, música e conversa solta trazem cor e sabor aos serões televisivos de domingo

Cosmopolitismo, arte, música e conversa solta trazem cor e sabor aos serões televisivos de domingo

Sem cerimónias. É já no próximo dia 11 de dezembro que a cantora Karyna Gomes abre as portas da sua casa criola no coração de Lisboa para receber amigos, brindar à vida e partilhar experiências. Assim será o Canto da Casa, o novo formato da RTP África para as noites de domingo, co-produzido pela Blablabla Media e pela Garden Films, e com o patrocínio da Adega Mayor. Um irrecusável convite para oito serões intimistas, marcados pelas cores, sabores, ritmo, poesia e música da lusofonia

Estreia já no dia 11 de dezembro, pelas 21h15, a nova aposta da RTP África para os serões de domingo. Uma série de oito episódios com condução da cantora e jornalista guineense Karyna Gomes, anfitriã do espaço que todas as semanas congregará à volta do fogão, da mesa ou no sofá, mais de uma mão cheia de convidados.

Umas vezes, há comida ao lume que alguém ajuda a terminar; noutras, prepara-se um petisco. O convívio segue então entre a sala, o pátio e a cozinha, onde se vão juntando amigos e, entre uma gargalhada e dois dedos de conversa, a música acontece.

Literatura, cinema, música, causas sociais, lançamentos, sonhos e aspirações. De tudo se pode falar no cosmopolita e eclético Canto da Casa, onde tanto chegam talentos emergentes como glórias consolidadas. Artistas como o rapper Prodígio, o cantor Dom Kikas, a mítica banda Tebanka Djaz, a cantora Maria Alice, a atriz Isabél Zuaa, a encenadora Natália Luísa, o ator Miguel Seabra, a realizadora Ana Sofia Fonseca, a curadora Ana Miranda, o escritor Ernesto Dabo, o pintor Sidney Cerqueira, ou a apresentadora Neusa Sousa.

Co-produzido entre a Blablabla Media e a Garden Films a partir de uma ideia original de Carla Adão, o Canto da Casa conta com a realização de Carlos Isaac e tem o patrocínio da Adega Mayor.

Apoios à produção:
Adega Mayor | Delta Q | Delta – The Coffee House Experience
Urucum | Perve Galeria / Casa da Liberdade – Mário Cesariny

Off
View Post
Lusofonia, música e conversa: Blablabla Media termina gravações de nova série para a RTP África

Lusofonia, música e conversa: Blablabla Media termina gravações de nova série para a RTP África

Terminaram esta sexta-feira, dia 25, as gravações da mais recente produção da Blablabla Media. Com apresentação da cantora Karyna Gomes e realização de Carlos Isaac, o novo formato semanal de oito episódios estreará no domingo, dia 11, no prime-time da RTP África

A cada Domingo, há um serão entre amigos em que a cantora guineense Karyna Gomes é a anfitriã. Na sua casa em Lisboa, recebe convidados que vão chegando. Umas vezes, há comida ao lume que alguém ajuda a terminar; outras, prepara-se um petisco. A conversa segue entre a sala e a cozinha, onde se vão juntando amigos e, entre dois dedos de conversa, a música acontece.

Assim será o Canto da Casa, o novo formato da RTP África produzido pela Blablabla Media em colaboração com a Garden Films, e com realização de Carlos Isaac, patrocínio do Grupo Delta (Adega Mayor, Delta Q e Delta) e os apoios da editora Urucum e da Perve Galeria. Uma aposta para as noites de domingo do canal da lusofonia, com estreia marcada para dia 11 de dezembro.

Fotografias: Alfredo Matos © 2022

Off
View Post
O Projeto Erasmus selecionado no Porto/Post/Doc

O Projeto Erasmus selecionado no Porto/Post/Doc

Já são conhecidos os nove projetos seleccionados para as atividades de indústria do Porto/Post/Doc e O Projeto Erasmus, da Blablabla Media, será um dos três portugueses a integrar os novos Encontros do Co-Produção. Abertos a propostas dentro do documentário e da ficção, o evento terá este ano como países em foco: Portugal, Espanha e França

Ao longo dos dias 22 e 23 de novembro, naquela que será sua primeira edição dedicada à indústria, o Porto/Post/Doc receberá nos Maus Hábitos os seus inaugurais Encontros de Co-Produção, uma iniciativa promovida pelos desks português e basco do MEDIA Creative Europe. O programa, que contará com um espaço para pitching de projetos bem como com um debate e um colóquio, promoverá ainda reuniões individuais entre potenciais co-produtores, distribuidores e sales agents.

Com autoria de Filipe Araújo, produção executiva de Hemi Fortes, co-produção da Blablabla Media (Portugal) e da Stefilm (Itália), e apoio à escrita e desenvolvimento do Instituto do Cinema e Audiovisual, O Projeto Erasmus terá a sua apresentação na manhã de quarta-feira, dia 23 de novembro.

Off
View Post
Projeto de curta de André Carrilho vence prémio na República Checa

Projeto de curta de André Carrilho vence prémio na República Checa

O primeiro projeto de animação da Blablabla Media, escrito e a dirigir por André Carrilho, acaba de se distinguir com um prémio no maior evento europeu dedicado ao cinema de animação, o CEE Animation Forum. Com os apoios à produção do Instituto do Cinema e Audiovisual e da Sociedade Portuguesa de Autores, A Menina com os Olhos Ocupados encontra-se atualmente em pré-produção

Vencedor de uma bolsa para desenvolver e adaptar o formato da obra para série, o filme diretamente inspirado no livro homónimo de André Carrilho foi galardoado com o Prémio CEE Animation Workshop, tendo sido particularmente bem acolhido por toda a indústria de animação europeia e granjeado o interesse de vários distribuidores.

Off

Despojos de Guerra é um dos programas mais vistos da televisão portuguesa

O primeiro capítulo da nova série da Blablabla Media em coprodução com a SIC foi um dos programas mais vistos da passada quinta-feira, dia 6. O primeiro episódio de Despojos de Guerra, de Sofia Pinto Coelho, atingiu um share de 22,9%, congregando em frente ao pequeno ecrã cerca de um milhão e cem mil espectadores. Uma semana depois, a proeza repete-se

Esta quinta-feira, 13 de outubro, os números do segundo episódio de Despojos de Guerra voltam a surpreender. Com efeito, mais um milhão de espectadores acompanhou de perto a história de um dos vários milhares de africanos que, depois de combaterem ao lado dos portugueses na guerra colonial, foram deixados à sua sorte com a descolonização. Emitido na rubrica Grande Reportagem, do Jornal da Noite, da SIC, Combatente Africano entrou diretamente para a lista dos programas mais vistos do dia em Portugal.

Com recurso a imagens de arquivo extraordinárias, pela primeira vez submetidas a um processo de colorização inédito em Portugal, Despojos de Guerra consiste numa série documental de quatro episódios que vem dar voz a protagonistas anónimos que relatam as encruzilhadas que enfrentaram em tempo de guerra e de descolonização.

Nos próximos dias 20 e 27 de outubro serão emitidos os últimos dois capítulos da obra: Corredor da Morte e Laços de Sangue. Para ver no prime-time da SIC ou rever em versão alargada na plataforma opto.

Off

Teatro Municipal de Ourém recebe O Casarão para sessão especial

No próximo domingo, dia 16, pelas 16h00, O Casarão volta a ganhar vida no grande ecrã. Promovida pela Câmara Municipal daquela cidade, desta feita, a sessão acontece em formato especial. Na sala principal do Teatro Municipal de Ourém

Em palco para o debate a seguir à projeção estarão presentes o protagonista da obra, António Oliveira, o realizador, Filipe Araújo, a produtora Hemi Fortes, e o assistente e figurante especial, Sérgio Diamantino. Bilhetes já à venda.

Off

Série documental sobre protagonistas anónimos da guerra colonial estreia esta semana na SIC

Também disponível na OPTO, em versão alargada, estreia já esta quinta-feira, dia 6 de outubro, na SIC, o primeiro episódio da mais recente co-produção da Blablabla Media. Assinada por Sofia Pinto Coelho, Despojos de Guerra revela histórias extraordinárias de espionagem, patriotismo, sobrevivência e romance tendo como pano de fundo a guerra colonial portuguesa em África

Com recurso a imagens de arquivo extraordinárias, pela primeira vez submetidas a um processo de colorização inédito em Portugal, esta série documental de quatro episódios vem dar voz a inesperados protagonistas anónimos que relatam as encruzilhadas que enfrentaram em tempo de guerra e de descolonização. A Informadora será o primeiro dos quatro capítulos a estrear no horário nobre da televisão de Paço de Arcos. Esta quinta-feira, dia 6 de outubro, dentro do Jornal da Noite.

EPISÓDIO 1: A informadora | No auge da guerra colonial em Angola, uma comerciante e o marido avisavam a PIDE (polícia política) quando os guerrilheiros iam à sua loja abastecer-se de mantimentos. Sebastiana Valadas revela qual era o seu nome de código, quanto recebiam pelas informações e como prendiam os “turras”. Depois da descolonização, um deles ajustou contas e mandou prendê-la.

EPISÓDIO 2: Combatente africano | Milhares de africanos combateram ao lado dos portugueses na guerra colonial. Com a descolonização, foram deixados à sua sorte. Alguns foram fuzilados ou perseguidos pelos novos poderes e mesmo para receber tratamentos médicos é-lhes dificultada a vinda a Portugal. Como é possível que não se faça justiça perante estes homens que estiveram na dianteira da guerra, como é o caso do antigo Cabo Luís Silva?

EPISÓDIO 3: Corredor da morte | O que significará dar a vida pela pátria? Contrariados ou voluntariosos, foi o que fizeram 800.000 jovens a partir de 1961. A Guiné estava transformada no mais duro e mortífero campo de batalha e foi para lá que foram enviados o piloto-aviador Miguel Pessoa e a enfermeira paraquedista Giselda Antunes.

EPISÓDIO 4: Laços de sangue | Chamam “filhos de tuga” aos mestiços nascidos das relações entre militares portugueses e mulheres africanas que foram deixados para trás. Entre a revolta e a esperança, ainda hoje tentam encontrar um nome de pai e descobrir a outra metade da sua identidade, como sucede aos irmãos Elva e José Maria Indequi.

Off

Blablabla Media soma presenças em laboratórios e fóruns de indústria europeus

No último trimestre de 2022, duas produções da Blablabla Media marcarão presença em, pelo menos, três importantes eventos de cinema dedicados à animação e ao documentário. Se A Menina Com Os Olhos Ocupados, de André Carrilho, é uma das 11 curtas selecionadas para pitching no segundo maior Fórum europeu dedicado à animação (CEE Animation Forum, República Checa) e no maior encontro de indústria de Espanha (Weird Market, Valência), O Projeto Erasmus, de Filipe Araújo, integrará já neste mês de setembro o Doklab, primeira residência imersiva do festival Punto de Vista, representando Portugal e Itália. A acontecer em Pamplona, o novo laboratório dedicado ao documentário de criação contará com a participação de grandes nomes do cinema documental, como Alan Berliner ou Victor Kossakovsky

Atualmente em produção pela Blablabla Media, com os apoios financeiros do Instituto do Cinema e Audiovisual e da Sociedade Portuguesa de Autores, A Menina Com os Olhos Ocupados, do ilustrador e cartoonista André Carrilho, estreia-se este trimestre nas lides dos pitchings e fóruns de indústria com duas seleções internacionais. O Weird Market em Valência, Espanha, e o conceituado CEE Animation Forum, na República Checa, são as primeiras paragens do projeto, a acontecerem entre finais de setembro e início de novembro, respetivamente.

Baseado no livro homónimo pintado a aguarela por Carrilho e animado em 2D com recurso a uma técnica inovadora, A Menina Com os Olhos Ocupados debruça-se sobre o quotidiano de uma criança que, apesar dos incríveis apelos da realidade que a rodeia, não consegue desprender os olhos do ecrã do telemóvel. Lúdico, fresco, atual e artisticamente estimulante, deverá chegar às salas no início de 2024.

Quanto à co-produção luso-italiana O Projeto Erasmus, será este mês um dos projetos em foco na residência imersiva de 14 dias do Festival Punto de Vista.

Atualmente em fase de desenvolvimento, depois de ter passado pelo Eurodoc, 3XDOC, Docs Barcelona – Campus (2021) e DocsBarcelona – Industry Forum (2022), o projeto de Filipe Araújo tem vindo a despertar o interesse de vários parceiros internacionais.

No contexto do Doklab, laboratório intensivo com a presença de cineastas como o americano Alan Berliner ou o russo Viktor Kossakovsky, será acompanhado ao longo de seis meses, com apresentação pública no contexto da próxima edição daquele que é considerado o mais importante festival do país vizinho dedicado ao documentário de criação.

Off

De volta à tela, de norte a sul do país

Após um percurso comercial de nove semanas em sala, O Casarão está de regresso ao grande ecrã, arrancando já esta quinta-feira, às 21h30, a sua tourné nacional com uma sessão especial nos cinemas Castello Lopes, em Guimarães. Setúbal, Cascais, Sintra, Barreiro, Torres Novas e Santarém são outras das cidades onde o filme poderá ser visto ao longo da semana

De 5 a 11 de maio, o mais recente filme documental de Filipe Araújo poderá ser visto diariamente nos Cinemas Castello Lopes de Sintra, Torres Novas, Santarém, Barreiro e Guimarães, n’O Cinema da Villa, em Cascais, e nos Cinemas City, em Setúbal. Com lugar em Guimarães, a sessão especial de abertura deste novo ciclo de projeções será a única a contar com as presenças do realizador e da produtora Hemi Fortes.

Produzido pela Blablabla Media em associação com a RTP e os apoios do ICA e da SPA, O Casarão procura estabelecer um diálogo entre o passado do edifício que albergou durante a ditadura o mais progressista seminário do país e os seus últimos dias, já no tempo presente. “Representa”, para isso, “um país a caminhar”. “Um país consubstanciado numa casa enorme. Uma casa muito maior do que nós e muito superior a todos nós”, como afirmaria na sessão de estreia o escritor João de Melo, autor do seminal Gente Feliz com Lágrimas e antigo seminarista naquele espaço.

Off

O Casarão é o quinto documentário de 2021 com maior número de espectadores por sessão

Estreado comercialmente a 18 de novembro de 2021 e mantido em exibição nos Cinemas City até 19 de janeiro do presente ano, O Casarão foi o quinto documentário nacional de 2021 com maior rácio de espectadores por projeção

O filme de Filipe Araújo, que desvenda os mistérios por detrás do seminário católico mais progressista de Portugal durante os anos da ditadura, manteve-se em sala dois meses, tendo sido a obra mais vista no Cinema City Alvalade durante a semana da sua estreia. Não obstante as restrições sanitárias impostas e os constrangimentos relacionados com o Covid-19, distinguiu-se ainda por nunca ter recebido uma sessão vazia.

Produzido pela Blablabla Media, com produção executiva de Hemi Fortes, co-produção da RTP e distribuição nacional da Zero em Comportamento, O Casarão contou com os apoios do Instituto do Cinema e Audiovisual e da Sociedade Portuguesa de Autores. Ao longo de 2022, assistirá à sua internacionalização, dando também início a uma digressão pelo país.

Apresentado pelo romancista João de Melo como “uma extraordinária narrativa, carregada de factos e de símbolos” e descrito pelos jornalistas Filipe Pedro (Lusa) e Maria Inês Gomes (Cinema 7Arte) como “um belíssimo poema” “repleto de raízes e de rostos”, várias foram as páginas dedicadas à obra na imprensa portuguesa. Para descobrir aqui.